quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Verdades e ironias

No domingo, talvez o mais sagrado do ano e, quem saberá dos próximos quatro, a freira vota buscando exprimir a essência divina em duas teclas para que se faça conhecer a vontade una e transcendente aos mortais, apontando é claro, para sua dimensão eterna, para a incorruptibilidade do espírito. Seu voto, nos dois sentidos, denuncia a astúcia da carne, ledo engano para o caminho da perdição, da degeneração e aniquilamento da alma. Sua confirmação se da pela e para confissão da natureza pecaminosa dos homens, primeiro passo para expiação dos pecados. Aperta a tecla, aperta ao lado, aperta o verde. Redenção.

O fiel, obediente e temeroso, caminha a mesma vereda trilhada pelo sacerdote contemporâneo. Este último, homem de muita fé, virtuoso e escolhido pelo Senhor para combater o bom combate, a batalha dos séculos, o jogo que não se vê. Enfrenta os olhares e adentra o baixio das bestas para cravar no coração do maligno a espada de fogo celestial. Do púlpito, ele traduz a língua dos anjos e a vontade do Senhor dos Exércitos para o povo escolhido, que sairá dali com a certeza de que aqueles dois números renovarão de esperança uma sociedade entregue aos prazeres da carne e assim ruma para o fogo eterno, mas disso já falamos. Aperta um e depois o outro e o verde em seguida. Vitória.

A jovem pensa que ainda é tempo de viver sob a égide da moral de seus pais e, talvez mesmo a dos pais de seus pais. Tudo para que não entre o mundo em colapso e para que não seja em seus dias a derrocada da vida humana. Não é preciso criar novos valores, eles já lá estão. A família não pode ruir, pois sem ela não teríamos chegado tão longe. A diferença não pode passar assim, levianamente, atacando e ferindo o direito de outros já conquistados. A moral e os bons costumes devem superar o caos. Três toques. Justiça.

Todos que, entre o bem e o mal que se oferecem às vistas, escolhem o bem, para que não chegue o dia em que olhem para trás e digam “estivemos quietos”, apertam os dois números e confirmam. Vida.

Na semana seguinte ao triunfo do domingo pacífico e sangrento, já se contabilizam dezessete jovens espancados, três dos quais não resistiram aos ferimentos, ao longo do território da pátria Brasil. Todos réus confessos da onda fascista e inconsequente que insistem em encarnar: "gays". Ainda com o passar de mais alguns dias, dezoito jovens são encontradas mortas na periferia, carregando em seus corpos o que não poderiam esconder, ainda que tivessem tentado: "mães sem coração". No decorrer do ano, dez jovens ainda seriam presos por atos de terrorismo e vandalismo, desafiando a imprensa em sua liberdade limpa, inocente e neutra em favor da verdade agora e sempre.

O Brasil pôde mais.



Bruno Costa

33 comentários:

Jão (O Criador G.B) disse...

é o Brasil pode mais

Guilherme Lombardi disse...

O Brasil pode mais o nosso povo é que tem dado preferencia pro de menos.

Juliane Bastos disse...

Não gosto muito de politica, pois acho isso tudo uma babaquice. ta lá quem eles querem e quem eles conseguem iludir com promessas fáceis. ¬¬

mas gostei do post e com toda certeza o Brasil pode mais.

Nicelle Almeida disse...

Ah, pode mesmo...só basta o povo brasileiro saber votar com consciencia e tratar a política como algo sério. Cada um busca estar fazendo o bem, mas é uma pena que tanta gente se engana no ato de votar.
Um forte abraço! Adorei o texto!
Me visita tb, tá rolando sorteio lá no blog. Não fica de fora!!! ;)
www.nicellealmeida.blogspot.com

Rogerio disse...

O brasil pode...so depende de nos;;;...não podemos ficar com os braços cruzados olhando tudo acontecer ai redor...e pensar que não é com a gente...

ARAÚJO disse...

Para o Brasil poder mais, o Brasileiro precisa de muita consciencia, e isso tá faltando!

Guilherme Lombardi disse...

O problema do Brasil é o povo que não ta nem ai pra nada, a não ser fica reclamando e não faz porra nenhuma para mudar essa merda!

Sandro Batista disse...

Primeiro te agradecer pelo post no meu blog, e dizer que ficaria muito feliz que alguém com tanto talento participasse do concurso literário.

Quanto ao texto, que coisa boa de se ler: uma postagem altamente politizado, sem ser politiqueira. Uma reflexão forte e profunda sobre todo esse processo que se apresenta sob a máscara da democracia (sim eu acho a democracia brasileira uma grande farsa). Parabéns pela percepção do momento, e por abordar o tema de forma tão brilhantemente original!

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Gabriel Pozzi disse...

olá!
primeiro texto que leio seu sem ser da série "pecados capitais", se não me engano, e me surpreendi com a densidade do mesmo.
que você entra com metáforas e analogias para representar uma situação muito maior do que cabe as histórias contadas em seus textos, isso eu já "conhecia", agora com tamanha crítica política e inúmeros pensamentos camuflados em palavras rebuscadas, esse lado seu nunca havia visto hahahaha

algumas opiniões minhas divergem da sua, mas gostei do ponto de vista.

http://songsweetsong.blogspot.com/

Érico Pena disse...

Gostei muito da sua forma de escrever. Prende pelo vocabulário vasto e diferente, parabéns amigão. Tbém tenho um blog no qual tbém exprime alguns pensamentos sobre política e outros ssuntos, se quiser dar uma conferida sem compromisso o endereço é: www.blog-do-pena.blogspot.com

Wellington disse...

Gostei de sua postagem! =) É uma contribuição para o domingo que aproxima. Nosso país é muito bom e próspero, não pode ser entregue a qualquer um que se candidate.
Nosso país pode mais quando o povo reconhece o potencial que tem e utiliza sabiamente.
Gostei da parte que você fala da freira votando. ...rsrsrs... Achei engraçado! X)

Abraços!

http://neowellblog.wordpress.com/

Macaco Pipi disse...

A Dilma já venceu!

Guilherme Lombardi disse...

Talvez a Dilma já tenha ganho mesmo ou acontecerá o mesmo que ocorreu com FHC e Jânio para a prefeitura de SP ou muitos outros casos e ela acabe perdendo por prepotencia dela e do governo federal.

Macaco Pipi disse...

se o SERRA ganhar, fudeu!

Bikelando disse...

É, ela venceu. Agora posso tirar onda dos PSDBistas ... se bem que se eles ganhassem eu ia zoar os PTistas também! Essa não foi a guerra do bem contra o mal, deveras fosse.
Comecei a ler seu texto e gostei especialmente do modo como o concluiu! No texto o Brasil pôde mais, tomara que na realidade nós possamos ainda mais!

Gregório disse...

Eu posso não comcordar com a sua visão politica, mas o texto está muito bom.

http://sonhadordesperto.blogspot.com/

Poeta do entardecer disse...

Uma visão deveras interessante sobre o momento político brasileiro onde questões de cunho moral religiosas pautam os debates de onde deveria sair soluções concretas a respeito de interesses mais urgentes do povo brasileiro.

Joyce Abbade disse...

Ótima forma de abordar as questões debatidas nos últimos meses em virtude do momento eleitoral do país. Parabéns pela maneira criativa e elegante da sua escrita! Por trás dos "gays" e das "mães sem coração" vemos a intolerância reinar. Que esses próximos 4 anos nos ajude nessa mudança!
Bjs carinhosos!

Insanium Delirium disse...

só saber votar com consciência não adianta muito não, até porque a gente mete pau nos políticos, mas o povo brasileiro tbm precisa mudar, e nunca teremos uma sociedade perfeita.
se quiser, acesse meus blogs http://denisirenia.blogspot.com e http://artegrotesca.blogspot.com

Brenda Manzoli disse...

Você escreve de uma forma muito própria.O texto é bom.Quero voltar para conhecer mais o seu talento.

maiscores disse...

belo texto *---*

Macaco Pipi disse...

É LULA DE NOVO!
CHUPEM, TUCANOS!

Nicelle Almeida disse...

É, os brasileiros fizeram a sua escolha e a Dilma foi eleita. Só n sei se foi uma boa escolha. Há toda uma diferença nisto!!!!
Forte abraço, meu caro!!!
Me visita tb ;)
www.nicellealmeida.blogspot.com

Franciele Valadão disse...

Terminei de ler o texto com um "UAUUU" bem grande no pensamento! Nunca tinha lido nada sobre política que passasse uma mensagem tão correta! Adorei, segui, pretendo voltar mais vezes.

Mister Neurotic disse...

O Brasil pode mais? Falamos mal dos políticos mas somos nós que os colocamos no poder. O povo do Brasil é preconceituoso, atrasado. Não estou tentando ofender ninguém, mas é a verdade. O país fica agarrado a falsos moralismos, bons costumes que não são bons nem aqui e nem em lugar algum, misturam política com religião, querem usar modelos de não sei quantos mil anos atrás em uma sociedade que não se enquadra nesses valores. É tudo uma bagunça, uma confusão. Como é que a política e o governo pode ser diferente?

Mister Neurotic disse...

O Brasil pode mais? Falamos mal dos políticos mas somos nós que os colocamos no poder. O povo do Brasil é preconceituoso, atrasado. Não estou tentando ofender ninguém, mas é a verdade. O país fica agarrado a falsos moralismos, bons costumes que não são bons nem aqui e nem em lugar algum, misturam política com religião, querem usar modelos de não sei quantos mil anos atrás em uma sociedade que não se enquadra nesses valores. É tudo uma bagunça, uma confusão. Como é que a política e o governo pode ser diferente?

Larissa Cordeiro disse...

Política, tem como colocar fé, vida, ética e redenção associadas a isso?
Bem meu caro, você é realmente um artista!
ótima postagem!

Larissa Cordeiro disse...

Política, tem como colocar fé, vida, ética e redenção associadas a isso?
Bem meu caro, você é realmente um artista!
ótima postagem!

Guilherme Lombardi disse...

Politica deveria se desveicular de tudo que abordaram nessa eleição, somente assim poderemos ter uma democracia plena e justa.

Yullia Marizia disse...

NOssa, que texto forte! Parabéns por ter tanto coteúdo e saber expressar =)

O Brasil pode mais, de fato. Acontece que eu tb não desconsidero a parte q os tais "poderosos" tem certo poder de manipular os menos esclarescidos. Não é solução sair dizendo q o brasileiro é burro, alguns realmente n tem instrução e os que tão no poder que poderiam fazer aguma coisa não mudam uma palha do lugar.

Leon K. Nunes disse...

A linha que separa esse texto da realidade é mais frágil do que se pode imaginar. Obscurantismo e coisas assim não são coisas das quais nos livramos facilmente... enquanto não existir uma fórmula eficaz, vamos tentando melhorar do jeito que dá...

Nah disse...

Por "acaso" esses 2 números são 4 e 3 (nessa ordem)?

!

Barbara Nonato disse...

Conseguiu transformar política em literatura, em uma época (ocasião em que publicou o artigo) onde a maioria das pessoas estava voltada para defender os interesses de seus candidatos.
Linguagem estupenda e associações fenomenais mais uma vez. Tô virando fã... Tô virando fã...