quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Os Pretéritos de um Futuro Verde-amarelo


Estavam quase, como que atônitos, ligeiramente aflitos, inteiramente desesperados. Isto é, no sentido mais forte do termo, não esperavam por tudo aquilo, nem mesmo pela notícia e desde agora, doravante não esperam mais qualquer boa nova.

Ora, onde estão todos vocês? Uns quantos movimentos repentinos e já não mais estão aqui. Tudo que se viu antes se foi. Sem rebates, silenciosamente. Pareceria um alerta antibélico se nós estivéssemos em guerra. Não há chuvas destrutivas nesta época do ano. Era para saírem, com o pouco do corpo, com a miséria da geladeira, com a vergonha da covardia. Não é uma desocupação, minha senhora. Tudo soa cinicamente como deve ser. Vocês simplesmente devem sair. Caminhem pelas beiradas, não façam alardes e nem mesmo dêem entrevistas. Tudo será resolvido, ainda que nunca o saibam; a nação agradece. O progresso já não vem a cavalo, tudo é muito acelerado. A luz é o limite ou será. O sossego é uma encruzilhada, o avanço segue a abrir avenidas onde houvera lares e aconchego.

Veja só que bela casa! Veja só que beleza este jardim. Foram-se os tempos. Visitem-nos com suas máscaras e não atravessem a rua fora da passarela. Olhem ao longe, quando muito lá por cima. Já não há portas para bater, as janelas não revelarão mais qualquer paisagem. Cuidado com os futuros, rapaz.

Ali, onde estavam, longe, é difícil tornar a sentir a vizinhança. A herança não é muita. Não seremos convidados para as festividades. Torçam pelo Brasil, todos vocês, todos nós. O governo não fala por nós. Fostes pegar o último girassol e ele já não olhava para o sol? Está distante, como a observar a descida de outra plataforma, ali por cima, sobre a pilha de paralelepípedos. Quem as largou aqui, não queremos namoro. Está como que entregue a má sorte, sob a pilha, já concretizada. Despediu-se do sol, o grande curioso que quase a tudo espreita a querer ver, que se levanta em meio à poeira dos passados que ficam para trás.

Em molduras as crianças não correm pelos corredores, não quebram jarros com bolas; estão ali para sempre ficarem. É o que se pode.
Façam silêncio, por favor. Não necessitam se incomodar com a porta. Não teremos os vizinhos. Você está cansado. Aperte minha mão de luva empoeirada, levante o capacete e sorria para o ponto vermelho. Pegue o cheque na saída. Foi esse o acerto final. Acerto certeiro. Via de mão única; inaugurada! Os holofotes criam o espetáculo. Estejamos longe, estou farto de modernidades. Meu bem, a civilização é uma barbárie. 

Enquanto isso ligue a tevê. Vão começar os jogos.  

47 comentários:

Viccitor disse...

Muito bem escrito, ótima crítica.

danielacristofoli disse...

muito show, parabéns!
tens futuro!
http://etcmodaetal.blogspot.com/

Karina Alme disse...

Interessante!

Paulo Cesar PC disse...

Parabéns pela maneira bem elabora e inteligente com que apresenta seu texto. Isso demonstra toda sua capacidade para no trato com as palavras. Um grande abraço.

André Lucas de Almeida disse...

Eu vou voltar mais vezes pra pode ler com mais calma, mas pelo que vi está muito bem escrito, as palavras em lugares certos, você expressa muito bem! Parabéns!!!


att. www.beginning-13.blogspot.com

Anônimo disse...

seu texto está muito bom
um ar crítico e realista bastane original
gostei.


http://diariodagarotadevariasfaces.blogspot.com/
visita o meu blog? me dá esse prazer vai ;)

Anônimo disse...

seu texto está muito bom
um ar crítico e realista bastane original
gostei.


http://diariodagarotadevariasfaces.blogspot.com/
visita o meu blog? me dá esse prazer vai ;)

Tatiana Grapsas disse...

A forma como você expôs sua critica no texto e conseguiu prender a minha atenção do começo ao fim, mostra a capacidade que você tem de se expressar com as palavras (e acredite isso é um dom). Parabéns pelo blog!

http://arotinaescrita.blogspot.com

Tatiana Massoco disse...

Ótimo blog! Parabéns.

Gavriel disse...

bela forma que vc expos esa critica.
as coisas mudam com o tempo, os jovens de hoje não são os mesmos de ontem e nem seram os mesmos de amanhã

Rock in Culture disse...

Criticas na sua maioria não são bem aceitas porem vc usou de formas muito inteligntes para expressa-las assim fazendos nos lermos ate o fim e concordarmos com vc PARABENS

Anônimo disse...

Ótimos blog, parabens!

Segue de volta?

http://web-frasesetextos.blogspot.com/

Iguimarães disse...

Tenho lá minhas resalvas,mas gostei de ter lido.
parabéns

Camila . disse...

Jeito bonito de escrever!

http://www.papel40kg.com/

Davi Drummond disse...

mto bom seu blog e seu texto =))

to seguindo aqui, segue o meu? \o/

www.foiporquerer.blogspot.com

marco disse...

valeu por seguir ;D
to seguindo também...
se puder contribuir clicando nos anúncios :D
www.umpoucosobreisso.blogspot.com

Belinha disse...

Achei uma crônica muito interessante.. e forte principalmente a parte das crianças ... valeu

Lucas Montenegro disse...

Muito bom. Achei um ótimo texto, unindo um lirismo que aparentemente lhe é inato à uma crítica muito pertinente. A sociedade, o dito progresso, muitas vezes destroem coisas belas para seguir em frente, em sua pressa enorme de chegar não se sabe onde.
ótimo texto mesmo!

Nando! disse...

Bela crítica! E o encerramento foi genial! Parabéns

"quanto isso ligue a tevê. Vão começar os jogos. "

Lucas Ribeiro disse...

Parabéns ai.
Ótimo Blog

Paulo Paz disse...

o encerramento foi maravilhoso, genial e atraente.

http://paulosergioembuscadotempoperdido.blogspot.com/

Deane disse...

Gostei daqui, voltarei mais vezes!

Abç

Ítalo Richard disse...

Bacana o texto, muito bem escrito e com uma crítica bem feita.

abraço,
www.todososouvidos.blogspot.com

Mari disse...

Texto muitíssimo bem elaborado, uma crítica inteligente e bem construída. Parabéns!

Wellington Gabriel disse...

Adorei... é assim mesmo que são tratados os menos favorecidos. mas quem contestará?? o avanço tem que continuar... o progresso? Está acima de tudo, inclusive por cima de nós... viajei no texto... muito bem elaborado. critica ferrenha, talvez não tão perceptivel a olhos desatentos, enfim... está de parabéns! "Agora pegue seu parco cheque e pode ir embora" rsrsr

Grande abraço e continue com o excelente trabalho!

http://efeitopio.blogspot.com

Yuri disse...

Não sou muito chegado a textos com certo tom de poesia.

Lucas Nuti disse...

Não vou comentar seu texto, não sou eu quem vai criticá-lo. Apenas te apoio a escrever mais e mais, pois faltam Guarnieris, Nelsons, Chicos e Naums na nossa terra!


http://alteregodonuti.blogspot.com/

Blog UaiMeu! disse...

Muito bom o texto é fato que estamos destruindo muitas coisas boas por causa do tal progresso , pra mim na verdades estamos dando passos para trás.
Ah sobre s filmes que vc n soube ,o 2 é top gun , 6 diario de uma paixão e 7 E o vento levou .
Obrigado por postar no meu blog
Abraço

kbritovb disse...

bah num entendi nada o.o

Daiah Scarlet disse...

ótimo texto, parabéns pelo blog!

Daiah Scarlet disse...

ótimo texto, parabéns pelo blog!

Marcelo Vitor disse...

sacada genial a do titulo do texto
se quiser ler sobre cultura geek entre em: http://batedeirageek.blogspot.com/

Lucas Adonai disse...

Ótimo texto ;D

Tataah disse...

Vs escreve mto beeim, parabens *-*

Dá uma passadinha lá, vs vai adoraar!!!
http://echidellanima.blogspot.com/
Beeijos *-*

PapoBacana disse...

olá..
muitobom seu texto..gostei da forma como usa as palavras...

achei especilamente interesante essa parte.." Em molduras as crianças não correm pelos corredores, não quebram jarros com bolas.." nunca havia pensando dessa forma..

abraçosss..
ps: obrigada pela carinho lá nomeu blog..

Morte Ilustrada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
paradigmas universal disse...

Holofotes criam a ilusão de um espetáculo. A se você soube-se o que se passa por detrás das cores e números em movimentos freneticos, que causam a ilusão da tevê ligada. Os jogos só terminam quando alguém se dá por vencido..."egos eternos."

Lucas Adonai disse...

Muito legal cara ;d

blog-cupcake disse...

Otimo texto! você escreve muito bem!

♥ Evelin Pinheiro ♥ disse...

Esse texto me lembrou a música "perfeição", do Legião Urbana. Uma crítica muito bem escrita. Parabéns e pelo blog tb!
Qdo puder me visite!
evesimplesassim.blogspot.com

Belinha disse...

Bem minha amiga, acima disse tudo então vou ser um pouco mais clara:
vamos celebrar a estupidez humana estupidez de todas as nações ao meu pais sua corja de assassino covardes estrupadoes e ladões

Blog Bidubidu Leilões disse...

Adorei o Blog e já me Tornei seguidor!!
me siga tbm http://bidubidu.blogspot.com/ e visite o nosso site www.bidubidu.com.br

Abraço!!

Crisneive Silveira disse...

Vivemos no circo que criamos. Esse texto me fez lembrar que eu já quis e ainda quero que minha cidade (que já é tida como região metropolitana) não se 'desenvolva'. Não quero perder a segurança de ficar até tarde na calçada, o silêncio quase mórbido das ruas no domingo a tarde, o homem que passa cantando na bicicleta para vender tapioca. Queria que o tempo parasse aqui.

André Narciso disse...

Ótimo texto...

Sthe Cachola disse...

MUITO BOM

Van Pontos da Beleza disse...

Gostei muito desse texto me prendeu bastante a atencao...

Mylla disse...

Juro que na medida que fui lendo, fiquei pensando que tu bem podia publicar um romance, Bruno. Hahaha. Sério. Parabéns. =)

:*

http://hey-london.blogspot.com